06 fevereiro, 2007

Matt Redman - Trindade

Trinity, an article by M.Redman. Click here for the article.

Esse é um post um pouco longo, mas creio que seja necessário. Como já disse em algum lugar na internet, creio que boa teologia é fundamental, inclusive para nós, líderes de louvor.

Matt Redman escreveu um artigo para a revista Worship Leader (você encontra o original, em inglês, aqui) falando sobre a importância da doutrina da Trindade da adoração de hoje.

Ele levanta a bola, e eu tento chutar a gol.

Após o texto, você encontra dois links, ambos excelentes: no primeiro, você encontra o Credo de Atanásio, que é um importante Credo da Igreja e é essencialmente Trinitariano. No segundo link, você encontra uma série de artigos e textos sobre a trindade, escritos por excelentes teólogos brasileiros e estrangeiros. Eu indico fortemente todos ele. Há um, inclusive, do meu professor no Seminário, Franklin Ferreira, que fala sobre a doutrina da Trindade para Agostinho.

Aproveitem


Tradução: Eduardo Mano / Revisão: Gustavo Nagel
Julgando por suas perguntas, minha filha de 4 anos, Maisey, está se tornando uma teóloga. Recentemente, com sua pequena e questionadora mente em velocidade total, ela soltou uma pergunta difícil para mim: “Papai, Jesus é Deus ou Ele é o Filho de Deus?”. Cheio de surpresa, tentei explicar da maneira mais simples possível que Ele é ambos. “Ahhhh”, veio então sua resposta frustrada, “isso é tão confuso!”. E sorrindo para mim mesmo eu estava feliz que ela queria ter uma imagem mais clara de quem Deus é.

Há um grande desafio a todos os líderes de adoração e compositores de hoje, para que apresentem uma clara imagem de quem Deus é através das músicas que cantamos. Isso não é apenas uma questão de honrar o Nome de Deus tão plenamente quanto possível – mas também nossas canções de adoração têm um importante papel ao afetar a visão de Deus das pessoas. Uma responsabilidade assustadora e pesada.

Atenção Urgente

Eu, recentemente, escrevi a líderes de louvor de várias correntes dentro da Igreja, pedindo a eles que identificassem quais áreas da Teologia precisam de uma atenção urgente nas canções de adoração de hoje. Em outras palavras, quais são as lacunas e pontos-cego em nossa atual dieta de adoração? De longe, a mais freqüente resposta foi a Trindade. Como Chris Cocksworth, Diretor da Ridley Hall, em Cambridge, resumiu:

“Precisamos que a ‘geografia Trinitariana de adoração Cristã’ seja esclarecida em nossas canções de adoração”(1)
O Professor Lester Rith, do Seminário Asbury, recentemente completou um estudo fascinante acerca do uso de canções de adoração Trinitarianas nas igrejas dos Estados Unidos entre os anos de 1989 e 2004. Ele identificou as 72 canções mais cantadas nesse período, como documentado no CCLI, e estudou seu conteúdo, particularmente com uma visão de contemplar a visão acerca da Trindade das mesmas. Professor Ruth descobriu que nenhuma das 72 músicas referem-se explicitamente à Trindade ou à natureza Triuna de Deus. E, ainda mais ao ponto, apenas três das músicas referem-se, ou nomeiam, todas as pessoas da Trindade. Em particular, poucas delas são dirigidas a Deus Pai ou ao Espírito Santo. Essas chocantes descobertas deveriam servir como um alerta aos compositores e dirigentes de culto em todos os lugares.

Confiança Teológica

Minha teoria é que para muitos de nós, músicos, nossa falta de produção conformada à Trindade é devida à falta de confiança, falta de certeza teológica nessa área. Com certeza, nós sabemos que Deus é Pai, Filho e Espírito Santo. Ou, talvez, nós estejamos incertos quanto a como as Três Pessoas da Trindade interagem quando se trata da adoração, e acabamos petrificados de medo com a possibilidade de escrever algo que seja, na melhor das hipóteses, uma má interpretação, e na pior das hipóteses, uma heresia. Portanto, instintivamente, preferimos evitar essa área por completo, ao invés de afundar-nos em um poço teológico. Para outros, pode haver diferentes razões. Talvez nós simplesmente não tenhamos pensado nessa área o bastante. Qualquer que seja o caso, a correção chegou, e agora é a hora de compositores e líderes de adoração responderem positivamente a esse alerta.

Nós Escrevemos o que Lemos

A melhor forma de produzirmos algo é, em primeiro lugar, captarmos dados. Devemos nos imergir neste tema, usando todas as fontes disponíveis: livros, cursos e professores. Às vezes um teólogo nos ajudará a colocar em palavras, ou a entendermos mais profundamente aquilo que instintivamente nós cremos ser verdade, e, assim, nos ajudar a trilhar um caminho que ajudará outros. Há tempos em que precisamos escrever claramente acerca da Trindade, nos dirigindo e respondendo a cada uma das Pessoas que a compõe pelo Nome. Há várias canções disponíveis em que cantamos ao Pai na primeira estrofe, ao Filho na segunda estrofe e ao Espírito na terceira, e isso é ótimo. Mas esse não precisa ser o único modelo. Outras vezes, nossa referência não precisa ser tão explícita, mas ainda assim um senso da Trindade deve estar sempre lá, mesmo que ao fundo. Robin Parry diz, “quando se trata da adoração, a Trindade deve ser como a gramática em uma frase”(2). Nem sempre é explícito, mas ela dá base e forma a tudo.
Voltando a Chris Cocksworth e suas sábias palavras:

“Às vezes eu sinto que nossas canções de adoração não permitem que a canção que Jesus canta ao Pai seja cantada em mim. Embora as canções me levem a Jesus, elas nem sempre me levam para, com e através de Jesus àquele que Ele chama de Abba.” (3)

Dirigentes e Líderes de Adoração, aceitemos o desafio.

As músicas de Matt Redman incluem “Essência da Adoração”, “Better is One Day” e “Blessed Be Your Name”. Como autor, ele escreveu "The Unquenchable Worshipper", "Facedown" e "Blessed Be Your Name". Matt, sua esposa e três filhos vivem em West Sussex, Inglaterra.
REFERÊNCIAS:
(1) e (3) Chris Cocksworth, Inside, Out Worship, Matt Redman e amigos, Regal Books, 2005
(2) Veja o excelente novo livro de Robin Parry Worshipping Trinity, Paternoster Press, 2005.
LINKS SOBRE A TRINDADE (em português)
Um abraço,
Duda

2 Comments:

Anonymous Michelle Martins said...

Olá!!! Vi seus comentários no blog do Lucas Souza e no do Everson Barbosa. Estou com um blog há pouco tempo, acho que devemos unir forçar através da internet e evangelizar as pessoas, estou horrorizada com o que tenho visto na rede, são ministérios demoníacos que estão surgindo e levando milhares! Creio que estamos no caminho certo e sabendo utilizar os talentos que o Senhor nos deu!!!
E a respeito da Trindade, uma das minhas preocupações no que se refere a música,(faço parte do vocal da Equipe de Louvor Libertae - RS) é exatamente como colocar o contexto da Trindade, pois é algo extremamente complicado e vemos hoje divisões na igreja por causa disso, existem os unicistas, e tantos outros...é difícil expressar realmente o relacionamento Pai, Filho e Espírito Santo (que ao mesmo tempo são um!) Devemos buscar a direção de Deus, para não errar! Que o Senhor continue a te abençoar!!!
Um abraço!!!

6:07 PM  
Anonymous Lucas Souza said...

Eduardo,
sem palavras para agradecer pelo seu excelente trabalho ao traduzir esse texto. Me abençoou muito.
Precisamos pensar e repensar a adoração de várias formas.
Abracos!!!

1:41 AM  

Postar um comentário

<< Home