03 setembro, 2008

Nossa Música Brasileira 2008



Eu e minha esposa participamos, no último final de semana, do Nossa Música Brasileira, evento realizado pelos Jovens da Verdade que busca enfatizar os (bons) trabalhos realizados na música cristã aqui dentro do Brasil, com a cara de nossa cultura.

Esse post vai ficar um bocado longo...

Chegamos ao Acampamento Jovens da Verdade, em Arujá, São Paulo, por volta de 16:30. Estava esfriando. Fizemos nossos registros e fomos para nossos quartos, tomar banho e nos prepararmos para o vento, que começaria apenas à 19:30. As boas surpresas começaram aí. Logo ao chegar no local de registro, encontrei o Batista, representante do Vencedores por Cristo, cara gente boa que já conheço há uns bons 7 anos. Conversamos bastante sobre VPC e tive a oportunidade de entregar uma cópia do EP para ele.

Mais tarde, a noite começou com um belo jantar e logo depois, música na cabeça: era noite de João Alexandre. João, para quem não sabe, é produtor de metade dos bons caras da música brasileira cristã. Enfim... sua apresentação foi excelente. Fiquei surpreso pela humildade do cara, e como me disseram, ele mudou muito nos últimos anos. Tive a oportunidade de conversar com ele, já que ele conhece o primo da minha esposa, e ele foi muito solícito, conversou com a gente numa boa, sem estrelismos sabe? É bom ver que esses caras sabem manter uma boa conversa, e não se limitam ao "Deus te abençoe", e coisas desse tipo.


João, fora de foco, afinando

Ainda rolou um outro show, de uma cantora... mas prefiro não comentar por não ter gostado.

Depois disso, era a hora da "social". E nada melhor, em um evento sobre música brasileira, d que uma social recheada de forró pé-de-serra, ao som de Roberto Diamanso e Cezar do Acordeão. Eles são cristãos, sim, mas nos presentearam com o que há de melhor no cancioneiro popular.


Diamanso e seus comparsas, puxando um forró pé-de-serra

No sábado, acordamos preparados para ouvir Silvertre Kuhlmann e Roberto Diamanso. Foi uma experiência muito legal, pois pude conhecer o trabalho de ambos. Diamanso é de fato um poeta, e um homem com um coração enorme. O cara tem 13 filhos, entre naturais e adotados. Silvetre é dono de uma voz belíssima, que lembra, aqui e alí, a do Milton Nascimento.


Silvestre e Diamanso

Após a apresentação, tivemos uma reflexão do pastor Ariovlado Ramos. Gostei muito. Fala muito bem. Sua mensagem, falando sobre como Cristo também redime a cultura e o mundo, usando o texto de Romanos 8:22 e 23, dizia basicamente o seguinte: se nosso louvor não tem por parâmetro o texto de Romanos, então é apenas "cantação".

Depois, veio o Baixo e Voz. Cara, que absurdo. É realmente apenas baixo e voz, mais nada. E um baixo de 4 cordas. Não 5, nem 6... apenas 4. Se você tivesse como ouvir o som que o Sérgio faz, ficaria espantado, como eu. Sérgio Pereira e Marivone Lobo, casados, têm uma química perfeita no palco. Além do repertório cristão, tocaram músicas de Lenine, O Rappa e Legião, todas pertinentes.

À tarde tivemos um painel com todos os músicos, onde pudemos discutir aguns aspecto da música cristã, do mercado, e de como a coisa toda funciona. Foi um momento muito inspirados, principalmente por vermos que o nível das participações, tanto dos músicos quanto da platéia, foi muito alto.

Após o fórum e o jantar, tivemos uma noite excelente: Gilson Resende, Gerson Borges e Jorge Camargo. Que coisa linda. O Gilson na verdade não iria se apresntar, mas nos presenteou com três de suas músicas. A que mais me chamou a atenção foi a segunda, que fala sobre as grandes dúvidas que temos e que gostaríamos de perguntar a Deus, de uma forma bem divertida. Valeu a pena conhecer seu trabalho.


Gilson Resende, ligando do céu para a terra...

Quase que o Gerson teve que cancelar a participação, pois passou três dias muito mal, mas graças ao bom Pai ele já estava bem no sábado e pode ir lá mostrar seu som. Sua banda é extremamente afiada, precisa, certeira. Todas as músicas foram muito bem executadas, inclusive umas 3 ou 4 do Cd A Volta do Filho Pródigo. Excelente e emocionante.


Gerson Borges e sua banda

Interessante foi que durante sua apresentação, o Gerson deixou que seu baixista, Elly Aguiar, mostrasse uma música de seu trabalho, que será lançado em dois meses, creio. O cara é fera mesmo... além de tocar baixo muito bem, destrói na guitarra e no violão. A música que ele tocou está disponível em seu MySpace, e vale a pena conferir. Tem muita influência de Lenine... e de Dave Matthews Band também, basta prestar atenção... esse Cd promete.


Elly Aguiar, promessa de boa música

Logo em seguida tivemos o Jorge Camargo, acompanhado de percussão e guitarra... muito bom. Embora ele tenha deixado um pouco de lado suas composições mais congregacionais, sua poesia melhorou e muito. Atendendo a pedidos, encerrou seu set com 3 músicas do Cd Presença, e a última foi a lindíssima Teus Altares. Pedida por mim. hehehehe. É ouvido quem grita mais alto, certo?


Jorge Camargo

Mais uma vez tivemos forró para fechar a noite, mas dessa vez, com Stênio Marcius, Sérgio do Baixo e Voz, o percussionista que acompanhou o Camargo, cujo nome eu esqueci e o Tiago Viana (ou Thiago Vianna?). Foi bem legal, e tivemos ainda uma autêntica noite de São João, com quadrilha e tudo.

No domingo teríamos mais três apresentações musicais: Glauber Plaça, Stênio Marcius e Banda Ágape.

O Glauber faz um som excelente, e fiquei espantado de conhecer praticamente todas as músicas dele. Dá para ver que o cara é gente boa e tem um bom coração.


Glauber Plaça, desmerecidamente fora de foco

O segunda da manhã foi o Stênio. Mas quero fazer um post à parte para ele, tamanha foi minha surpresa.


Stênio Marcius e Silvestre

Infelizmente não pude ver a banda Ágape, mas acho que o som deles deve ser muito bom. O líder da banda me surpreendeu muito durante o debate. A banda tem, como eles mesmos disseram, 30 anos de anonimato. Um dado curioso, engraçado e triste é que há algum tempo eles foram sondados para receber um prêmio de banda revelação. Tipo... banda revelação com 30 anos de carreira??? Mas enfim, o lance é que, para receberem o prêmio, teriam que desembolsar 3000 reais. Viu? Curioso, triste e engraçado ao mesmo tempo.

Enfim... eu definitivamente quero ir no ano que vem. Não só lá, mas também no Som do Céu. Essas oportunidades são raras, onde você pode ouvir música excelente e palavras idem.

Que Deus abençoe todos os músicos envolvidos, trazendo a eles cada vez mais inspiração e discernimento.

Soli Deo Gloria

Duda

4 Comments:

Blogger Helio Junior said...

Olá Eduardo!

Que maravilha essa sua matéria sobre o NMB!!! Aqueles dias no acampamento foram muito especiais e já deixam saudade...

Também fiz um pequeno registro no meu blog. Se puder, faça uma visita:

http://musicaecomunhao.blogspot.com

Grande abraço!

11:12 AM  
Blogger Wander & Ana Carla Almeida said...

Oi Eduardo,

Legal seu blog, sempre passo por aqui. Moro em Resende, e tbm conheço o Kadu (aqui ele é conhecido como Begood, na verdade bigú).Mandou bem na cobertura do NMB, me deu muita vontade de ir. Na Px edição, quem sabe?
Ah, vou baixar seu EP hoje.
Abs,
Wander

3:13 PM  
Anonymous André Scultori said...

Fiquei com inveja!

Já tem data pro próximo?

12:59 PM  
Blogger Ronaldo J. Barbosa said...

Mais um, mais um...!
Achei mais um “Herói da resistência” que engrossa as fileiras daqueles que não se curvam a ditadura do “Gospel” no Brasil!
Caramba acho que peguei pesado né?

Um abração e; “VAMOS A LUTA COMPANHEIRO!”

8:46 PM  

Postar um comentário

<< Home